Detalhe

Ministro da Educação anuncia exoneração do presidente da Capes

13/04/2021 | Por: G1 | 222
Foto: Reprodução/ G1

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou nesta segunda-feira (12) a exoneração do presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Benedito Guimarães Aguiar Neto.

Ribeiro disse que o próximo presidente "será um profissional de perfil técnico e acadêmico, cujo nome será divulgado oportunamente". Ele não explicou a razão para a mudança.

A Capes é responsável por avaliar os cursos de pós-graduação, divulgar as informações científicas, promover a cooperação internacional e atuar na formação de professores da educação básica.

A exoneração de Aguiar foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial da União nesta segunda (12). Antes de assumir a Capes, Aguiar foi reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, onde também atuou o ministro Milton Ribeiro.

A nomeação de Aguiar, ainda na gestão Abraham Weintraub, provocou grandes críticas por ele ser defensor do criacionismo, teoria que se baseia na fé na criação divina, ou seja, que Deus criou a vida.

À frente da universidade, ele promoveu eventos para defender a teoria. A comunidade científica refuta o criacionismo.

À época, a “Science”, uma das revistas acadêmicas mais prestigiadas do mundo, disse que a nomeação de um defensor do criacionismo para comandar a agência que avalia os programas de estudo de graduação no Brasil “deixou cientistas preocupados sobre a interferência da religião na ciência e na política educacional”.

Carta à Capes
Antes da demissão, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC) mandaram uma carta a Aguiar Neto em que pedem informações sobre a recomposição do Conselho Superior da Capes.

O texto diz que "a última reunião desse conselho ocorreu no dia 28 de novembro, quando foi anunciada a futura recomposição" e cobra uma definição.

"Diante da discussão orçamentária atual, onde há restrição de recursos, e da grave crise sanitária e econômica que assola o país com sérios impactos para a pós-graduação (...), torna-se imperiosa a recomposição e a nomeação do novo Conselho Superior, para o exercício pleno de suas estratégicas e importantes obrigações."

A carta cita que é necessário "estabelecer prioridades e linhas orientadoras das atividades da entidade" e "apreciar a proposta do Plano Nacional de Pós-Graduação, para encaminhamento ao Ministro de Estado da Educação".